Culto Doce Salvação (E NÃO COSME & DAMIÃO)


Doce Salvação


No dia 27 de setembro o departamento infantil de todas as congregações do nosso setor 28 estarão trabalhando em suas igrejas com o projeto "Doce Salvação" com suas crianças.

Finalidade do projeto:

O dia 27 de Setembro entra para a história do CEAMI ( Centro de Evangelização e Aperfeiçoamento do Ministério Infantil) com o Projeto "Doce Salvação" vamos mudar a história de centenas de pessoas que estarão participando de um Evangelismo Estratégico deste dia para venerar a Cosme e Damião (mártires cristãos do século III) através da distribuição de doces.




O que passa despercebido da maioria da população é que, através da idolatria, estão, na realidade, cultuando a demônios que lançam sementes das trevas e de morte na vida de milhões de pessoas, e principalmente na vida das crianças, que são as que mais se envolvem através do consumo de doces oferecidos às entidades demoníacas.
Por isso, não conformado com esta situação o CEAMI criou, Não Cosme e Damião e sim Projeto "Doce Salvação" que irá realizar neste dia um evangelismo estratégico onde temos como alvo as crianças. Além de receberem uma poderosa ministração da Palavra de Deus, na qual aprendem que Jesus é o único protetor das crianças.
Assim como a distribuição popular dos doces usa convites, nós também elaboramos um convite especial para chamarmos as crianças e seus pais.
Os gêmeos árabes Cosme e Damião eram filhos de uma nobre família de cristãos. Nasceram por volta do ano 260 d. C, na região da Arábia e viveram na Ásia Menor, no Oriente. Desde muito jovens, ambos manifestaram um enorme talento para a medicina, profissão a qual se dedicaram após estudarem e diplomarem-se na Síria.
Tornaram-se profissionais muito competentes e dignos, e foram trabalhar como médicos e missionários na Egéia.
Amavam a Cristo com todo o fervor de suas almas, e decidiram atrair pessoas ao Senhor através de seu serviço. Por isso, não cobravam pelas consultas e atendimentos que prestavam, e por esse motivo eram chamados de "anárgiros", ou seja, "aqueles que são inimigos do dinheiro/ que não são comprados por dinheiro". A riqueza que almejavam era fazer de sua arte médica também o seu apostolado, para a conversão dos perdidos, o que, a cada dia, conseguiam mais e mais. Seus corações ardiam por ganhar vidas, e nisto se envolveram através da prática da medicina. Inspirados pelo Espírito Santo, usavam a fé aliada aos conhecimentos científicos. Confiando sempre no poder da oração, operavam verdadeiros milagres, pois em Nome de Jesus curaram muitos doentes, vários destes à beira da morte.
Porém, as atividades cristãs dos médicos chamaram a atenção das autoridades locais da época, quando o Imperador romano Diocleciano autorizou a perseguição aos cristãos, por volta do ano 300. Ele odiava os cristãos porque eles eram fieis a Jesus Cristo e não adoravam ídolos e esculturas consideradas sagradas pelo Império romano.
Por pregarem o cristianismo, Cosme e Damião foram presos, levados a tribunal e acusados de se entegaram à prática de feitiçarias e de usar meios diabólicos para disfarçar as curas que realizavam. Ao serem questionados quanto as suas atividades, eles responderam: "Nós curamos as doenças em nome de Jesus Cristo, pela força do Seu poder" E assim foram martirizados.
Cem anos depois disso, iniciou-se uma terrível idolatria aos seus restos mortais e às imagens que foram esculpidas em sua homenagem. Dois séculos após sua morte, o Imperados Justiniano ficou gravemente doente e eu ordens para que se construísse, em Constantinopla, uma grandiosa igreja, em honra a Cosme e Damião. A fama dos gêmeos também correu no Ocidente, a partir de Roma, por causa a basílica dedicada a eles, construída a pedido do papa Félix IV. A solenidade de consagração da basílica ocorreu no dia 26 de Setembro e assim, Cosme e Damião passaram a ser festejados, pela igreja católica, nesta data.
Seus nomes são pronunciados inúmeras vezes, no mundo inteiro. Até hoje os gêmeos são cultuados em toda a Europa, especialmente na Itália, França, Espanha e Portugal, Além disso, são venerados como padroeiro dos médicos e farmacêuticos, e por causa da sua simplicidade e inocência também são invocados como protetores das crianças. Por isso, na festa dedicada a eles, é costume distribuir balas e doces para as crianças.
Aqui no Brasil, a idolatria uniu-se à feitiçaria. A devoção trazida pelos portugueses misturou-se com o culto aos orixás-meninos da tradição africana.
Triste é ver a total profanação dos Princípios Eternos pelos quais os gêmeos árabes morreram. NUnca eles deram-se aos ídolos e jamais praticaram magia ou ocultismo, embora tenham sido acusados de fazê-lo. Mas o pecado do homem e a maldade de satanás, que distorce os padrões do Senhor, fazem com que o engano se propague por gerações, através dos séculos, tornando o mal uma tradição cultural. Eles foram cristãos fiéis até o fim amaram o Senhor sem medida e sem restrições manifestaram Jesus em suas vias diárias e assim, ganharam inúmeras almas ao Senhor, através do Amor e da Pregação.






















0 comentários:

Postar um comentário